ADEUS NÃO! ATÉ 2014

Ninguém gosta de dizer e muito menos ouvir a palavra adeus, soa como algo sem volta. Por isso o  I ENCONTRO NACIONAL DE LEIGOS CALABRIANOS não disse adeus, apenas um até mais ver em Porto Alegre, em 2014.

Num clima de forte emoção e saudade que tomou conta dos quase 400 participantes, deste que foi o maior evento na história da Obra Calabriana na América Latina, chegou ao final de três dias de muita formação, informação, convivência e solidariedade.

Na apresentação das equipes que nos bastidores, no silêncio e na alegria trabalharam, somente os “mais durões” conseguiram  segurar as lágrimas.

Quando se chega ao fim de um momento vivido com tanta intensidade como este, fica difícil explicar o que se viveu, e por um bom tempo, talvez a frase mais repetida será: “foi bom demais! Valeu a pena”. Isso mesmo. Foi bom demais. Se não fosse por outras coisas tão maravilhosas, teria valido só por ter escutado os depoimentos dos leigos e leigas, que representaram seus estados na mesa redonda. A convicção da Bahia, quando revela o sentido de pertença à Obra. Que a Igreja acontece na comunidade, pois é lá também o espaço mais privilegiado para se viver o carisma calabriano. Do Pernambuco, estreante na caminhada, vem a emoção da comunidade, que neste momento de dor pelo sofrimento  do Pe. Gilson Bertamoni, faz-se mais forte e mais confiante nos desígnios da Providência. Do Mato Grosso do Sul, a experiência de caminhada, que levou os leigos calabrianos a sugerirem e conseguirem, do pode publico, que em Anaurilândia seja feriado civil e religioso no dia 08 de Outubro, dia de São João Calábria, único em todo mundo. E do Pará? Chega a linda experiência de que grupos calabrianos, vão se multiplicando dando vida a novos grupos. É no Maranhão onde a comunidade Calabriana faz-se pastoral. A maioria dos leigos está envolvida plenamente na pastoral paroquial ou na educação Calabrianas. “Eu vi. Eu ouvi o clamor do meu povo e desci para salvá-lo”, esse grito veio do Rio Grande do Sul, que entende e conclama a que todo calabriano   se torne providência para os irmãos. E o Ceará fechou este momento, fazendo uma ligação muito forte entre a fé pessoal e a paternidade de Deus.

Se tínhamos alguma dúvida sobre a Providência, os leigos, mas principalmente a participação dos jovens responderam-nos a altura. E a melhor definição de Providência Divina e de Paternidade de Deus, foi dada nestes três dias, que na fala de um dos adolescentes de voz embargada exclamou: Isso parece um sonho lindo, mas eu sei que eu real, estou vivendo isso. E  jamais me esquecerei de tudo que aqui ouvi e  vivi”.

Adeus?! Não! Nós não  dissemos adeus, pois agora é que tudo recomeça. E em 2014 depois de ter “caído a ficha” a gente se encontrará para recontarmos o que de mais bonito vivemos.

Maranhão! terra do amor, com sua gente maravilhosa, você já está fazendo falta!

Veja imagens e videos em http://www.pobresservos.org.br/